terça-feira, abril 23, 2019


25 de Abril Sempre

Nunca esqueceremos os valorosos capitães de Abril que  neste "dia inicial inteiro e limpo" como tão bem disse Sophia,  devolveram  a Liberdade ao povo português.

Mas gostaria, também, de lembrar todos, homens e mulheres, que foram perseguidos, presos, torturados e mortos pelo regime fascista de Salazar.
De lembrar também os "bufos" da PIDE, que a troco de uns miseráveis escudos denunciavam, com verdade mas também mentiras, todos que ousassem falar contra o dito, regime fascista. 
De tal maneira que, ao mínimo sinal de "bufo" por perto, se dizia: o melhor é falar de flores.
Lá está flores, cravos, claro!

É que, meus amigos, actualmente, a democracia anda muito mal frequentada.

Feliz dia da Liberdade!


6 comentários:

David Millar disse...


This was really helpful and gave me far more ideas.
Photo Retouching Services

Ana Tapadas disse...

Querida Isabel,
sábias palavras que temos o dever de manter limpas. Duros são os tempos, pela Europa e pelo mundo...

Beijinho saudoso.

alfacinha disse...

Cara Amiga,
Portugal fica para mim como um sonho que se torna cada vez mais lindo
beijos

RH-ESCREVENDO SUA HISTÓRIA disse...

Olá! Boa noite!

Neste mundo virtual encontramos de tudo, mas o seu blog é maravilhoso, vale a pena seguir e já estou ficando, com certeza voltarei mais vezes.
Criamos um blog para nossa escola- RAIMUNDO HONÓRIO, recém-nascido, mas será um prazer ter você seguindo e nos impulsionando com este trabalho virtual que estamos organizando no nosso cantinho que também é de todos!
Tenha um fim de semana feliz e abençoado. Abraços.

Vih disse...

Feliz dia da Liberdade, Isabel! Ainda que meu comentário seja meio tardio.
É sempre "bom" que a gente lembre dos nossos períodos mais escuros do país, pra nunca equecermos de manter a luz acesa.
Como você anda, tudo bem? É complicado atualizar o blog nesse período entre aulas da faculdade.
Beijos rimados pra você :*

alfacinha disse...

Cara Ana
Para a maioria dos europeus, as guerras em Sírie são dramas muito longe de sua cama, e essa indiferença vem acontecer há sete anos.
abraços