segunda-feira, novembro 28, 2011



Lembram-se?
Estávamos em 2002 e algumas instituições bancárias distribuiam estes conversores, entre os seus clientes, para nos adaptarmos à mudança do escudo para euros.
No dia 1 de Janeiro de 2012 farão precisamente 10 anos  que o euro existe na forma de notas e moedas,

E, entretanto, quanta incerteza e preocupação anda no ar.

Adaptei-me facilmente à nova moeda mas sem nunca deixar de lado o escudo. Mentalmente estou sempre a converter o euro em escudos. E, podem crer, é muito útil. Impede-me de fazer alguns disparates.

Para aderir à União Europeia  fomos obrigados a ter quotas na produção de leite e nas pescas. Campos subsidiados para não produzirem. Mais subsídios para o abate de barcos.
Ficámos com imensas auto estradas, é certo, mas de que irão servir se o combustível aumenta, as portagens aumentam, tudo aumenta?

Como poderá este País desenvolver-se  desta  maneira?
A quem interessa esta opressão económica?
Acho que  temos que pensar muito bem o que queremos realmente para o nosso País.



.

sexta-feira, novembro 25, 2011


Afinal o que importa não é a literatura
nem a crítica de arte nem a câmara escura

Afinal o que importa não é bem o negócio
nem o ter dinheiro ao lado de ter horas de ócio

Afinal o que importa não é ser novo e galante
-ele há tanta maneira de compor uma estante!

Afinal o que importa é não ter medo; fechar os olhos frente ao precipício
e cair verticalmente no vício

Não é verdade, rapaz? E amanhã há bola
antes de haver cinema madame blanche e parola

Que afinal o que importa não é haver gente com fome
porque assim com assim ainda há muita gente que come

Que afinal o que importa é não ter medo
de chamar o gerente e dizer muito alto ao  pé de muita gente:
Gerente! Este leite está azedo!

Que afinal o que importa é pôr  ao alto a gola do peludo
à saída da pastelaria, e lá fora -ah, lá fora! - rir de tudo

No riso admirável de quem sabe e gosta
ter lavados e muitos dentes brancos à mostra


Mário Cesariny - Pastelaria (Discurso Sobre  a Reabilitação do Real Quotidiano

*

terça-feira, novembro 22, 2011







O Outono está a despedir-se.  Foi breve a sua visita. Nem foi bem Outono, mas um Verão preguiçoso.
Temos aí o Inverno, impaciente, a mostrar a sua força.
Esperemos que a Primavera venha mais cedo...


*

sexta-feira, novembro 18, 2011



Pouco é um homem e, no entanto, nele
cabe tudo o que existe e fica ainda
espaço bastante para poder negá-lo.


Armindo Rodrigues - Beleza Prometida  XC

in  Poemas Portugueses Antologia da Poesia Portuguesa do Séc.XIII ao Séc. XXI

*

terça-feira, novembro 15, 2011

sexta-feira, novembro 11, 2011

terça-feira, novembro 08, 2011




Prezado senhor e rei,
Sabes a notícia grada?
Segunda comemos pouco,
Terça não comemos nada.

Quarta sofremos miséria,
E quinta passámos fome;
Na sexta quase nos fomos -
Não se aguenta quem não come!

Por isso vê se no sábado
Mandas cozer o pãozinho,
Senão no domingo, ó rei,
Vamos comer-te inteirinho!

Georg Weerth (Alemanha 1822-1856) - A Canção da Fome

*

quarta-feira, novembro 02, 2011





Vocês são a favor ou contra?
Respondam sim ou não.
Decerto já pensaram no problema
Creio sinceramente que ele os tem preocupado.
Tudo na vida traz preocupações
Crianças mulheres insectos
Plantas nocivas, horas sem proveito
Paixões difíceis, dentes cariados
Filmes medíocres. E isto decerto os preocupa.
Sejam responsáveis e digam: Sim ou não.
A vocês é que cabe decidir.
Não lhes pedimos evidentemente que abandonem
Suas ocupações, que interrompam sua vida
O jornal preferido o bate-papo
No barbeiro aos domingos ao ar livre.
Uma palavra só. Vamos então:
Vocês são contra ou a favor?
Pensem bem: Eu fico à espera.

Manólis Anagnostákis ( Grécia  - 1925)  - A Decisão

in Rosa do Mundo


*