domingo, dezembro 30, 2012




Feliz Ano Novo
 
 
O meu amigo belga, que é Alfacinha de coração, enviou-me esta receita deliciosa para esquecermos o 2012 e entrarmos no 2013 com um sorriso e que partilho convosco.

"Coloque numa panela, neve branca brilhante,
algumas estrelinhas da noite de São Silvestre,
e leve ao fogo .
A meia-noite em ponto cubra tudo com beijinhos de amor.
Acrescente no conjunto uma punhada com chuva pirotécnica.
Regue muito copioso com cintilantes borbulhos dourados de espumante.
Mexe isto tudo cuidadamente com um generoso suspiro de bonança
e junte os seus votos de novo ano.
Despeje essa mistura de ventura sobre uma placa
e leve ao forno pré-aquecido por cerca de 365 segundos.
que bolo de ano
Divida o bolo em quatro estações
e goze de dia para dia do sabor único de um feliz ano novo."

Eu vou tentar. Espero que funcione,

Feliz 2013 para todos!!


 

sexta-feira, dezembro 28, 2012


Trafaria, Dezembro 2012


2012 está a chegar ao fim.

Não foi um ano bom para a maioria dos portugueses.

Está na altura de fazermos um balanço, depois de muitos jovens terem saído do País para encontrarem trabalho e sustento noutras paragens.
Depois de ano e meio de governação, depois de tantos sacrifícios, depois de perdermos tudo  que o 25 de Abril conquistou, o que nos resta?

Nós não sabemos mas os governantes deviam ter uma palavra de esperança e não um discurso atabalhoado, no "facebook", lamuriento, piegas, tipo folhetim da "coxinha", literatura de cordel pura.

Os portugueses podem gostar muito de telenovelas mas, de certeza, preferiam ter pão na mesa  junto de toda a família. E homens honrados  a dirigir este País e ... inteligentes .

O nosso primeiro, provavelmente, acha que somos todos "tosques".





segunda-feira, dezembro 17, 2012

              
                     


É tempo de Natal.
Mesmo contra todas as adversidades.
Portanto tornemos este tempo o melhor possível para os que mais amamos.

Desejo a todos vós um Feliz e Santo Natal e em Paz.

quarta-feira, dezembro 12, 2012



"Só existem dois dias no ano nos quais não se pode fazer nada.
Um chama-se ontem,  e o outro amanhã.
Portanto hoje é o dia ideal para amar, acreditar, fazer e, principalmente, viver."

Dalai Lama

sexta-feira, dezembro 07, 2012




Eu escrevo versos ao meio-dia
e a morte ao sol é uma cabeleira
que passa em frios frescos sobre a minha cara de vivo
Estou vivo e escrevo sol

Se as minhas lágrimas e os meus dentes cantam
no vazio fresco
é porque aboli todas as mentiras
e não sou mais que este momento puro
a coincidência perfeita
no acto de escrever e sol

...

António Ramos Rosa - Estou Vivo e Escrevo Sol (excertos)

quarta-feira, dezembro 05, 2012



Eu sei, estamos todos, quase todos, a passarmos por enormes dificuldades e, principalmente,  por situações gravíssimas para as quais não vejo nenhum sinal de esperança.

Mas depois de ouvir a elaborada ginástica verbal  do nosso primeiro  para dizer que não disse  aquilo que tinha dito. E que, nós é que não o percebemos.
Desculpem,  foi hilariante.

Hello, as afirmações foram gravadas, sendo fácil fazer a verificação...dâh..

Escolaridade obrigatória  a pagar pelo contribuinte?  É inconstitucional.

De discriminação em discriminação um dia destes  a escola será só para arianos de cabelo loiro e olhos azuis?
A propósito de loiro, quando é que o nosso primeiro acerta na côr da tinta de pintar o cabelo?

Parafraseando Magritte: Isto não é um primeiro-ministro.


sábado, dezembro 01, 2012


Dia 1 de de Dezembro, Dia da Restauração da Independência de Portugal
 
 



A grande preparação para a revolta

A ideia de recuperar a independência era cada vez mais poderosa e a ela começaram a aderir todos os grupos sociais.

Os burgueses portugueses estavam muito desiludidos e empobrecidos com os ataques ao seu território e aos navios que transportavam os produtos que vinham das várias regiões do reino de Portugal continental, insular e ultramarino. A concorrência dos Holandeses, Ingleses e Franceses diminuía-lhes o negócio e os lucros.

Os nobres descontentes viam os seus cargos ocupados pelos Espanhóis, tinham perdido privilégios, eram obrigados a alistar-se no exército castelhano e a suportar todas as despesas. Também eles empobreciam e era quase sempre desvalorizada a sua qualidade ou capacidade! A corte estava em Madrid e mesmo a principal gestão da governação do reino de Portugal, que era obrigatoriamente exigida de ser realizada "in loco", era entregue a nobres castelhanos e não portugueses. Estes últimos viram-se afastados da vida "palaciana" e acabaram por se retirar para a província, onde viviam nas suas casas senhoriais e solares, para poderem sobreviver com alguma dignidade imposta pela sua classe social.

Portugal, na prática, era como se fosse uma província espanhola, governada de longe. Os que ali viviam eram obrigados a pagar impostos que ajudavam a custear as despesas do Império Espanhol que também já estava em declínio.

Foi então que um grupo de nobres - cerca de 40 conjurados- se começou a reunir, secretamente, procurando analisar a melhor forma de organizar uma revolta contra Filipe IV de Espanha. Uma revolta que pudesse ter êxito.

 Texto e imagem tirados da Wikipédia
 
 

terça-feira, novembro 27, 2012




Quando eu era criança gostava muito de jogar ao "rapa,tira põe e deixa"
Era muito divertido porque os adultos também entravam na brincadeira.
E jogava-se mesmo a feijões.

Este pião já não é dessa altura,mas sim das minha filhas.
A letra R ainda se vê bem assim com o T.  Inexorável o tempo,  quase fez desaparecer o Põe e o Deixa.

Olhando para o que nos está a acontecer podemos dizer  que foi premonitório.

Este Orçamento para 2013 vem rapar e tirar o pouco que temos e não vejo no horizonte mais próximo nenhum Põe ou simplesmente Deixa.

Será que os Portugueses, o melhor povo do mundo,  vão deixar que isto aconteça e não tirar daí as devidas  ilações?


quinta-feira, novembro 22, 2012




Sem burro e sem vaca mas com  FAMEL.

O Natal está a chegar mas parece que  não somos só nós a sofrer cortes, agora até querem tirar os bichinhos do presépio.

Eu não tiro, mas posso pô-los entre parêntesis. Aliás, era um óptimo nicho de mercado.
Venderem-se o burro e a vaca de barro, de porcelana, ou seja lá do que fôr, mas com os respectivos parêntesis a condizer.

Haja Santa Paciência!!!

terça-feira, novembro 20, 2012



Christina do blog "États d'Ame" deixou-nos esta noite.
Conhecemo-nos através dos nossos blogs.
Desde 2007, em Agosto, que nos encontrávamos  sempre.
Ficarão ela e Jacques ,sempre no meu coração.
A sua máquina fotográfica era já uma extensão do seu braço.
Tenho a certeza, que no Céu, já deve estar a tirar fotografias aos anjos.
Repousa em Paz querida Amiga.


segunda-feira, novembro 19, 2012



"La vida  no ha sido la fiesta que habíamos imaginado, pero ya que estamos aquí, bailemos."

F.Aramburu (San Sebastian, 1959) - Narrador e ensaista espanhol

sexta-feira, novembro 16, 2012


Cravina-dos-poetas (Dianthus barbatus)
 
 
 
...
Vai pois e noticia com um archote
aos que encontrares de fora das muralhas
o mundo em que nos vemos, poesia
massacrada e medos à ilharga.
 
Vai pois e conta nos jornais diários
ou escreve com ácido nas paredes
o que viste, o que sabes, o que eu disse
entre dois bombardeamentos já esperados.
 
Mas diz-lhes que se mantém indevassável
o segredo das torres que nos erguem,
e suspensa delas uma flor em lume
grita o seu nome incandescente e puro.
 
Diz-lhes que se resiste na cidade
desfigurada por feridas de granadas
e enquanto a água e os víveres escasseiam
aumenta a raiva
                         e a esperança reproduz-se.
 
Egito Gonçalves - Notícias Do Bloqueio (excerto)


Sexta feira dia treze

 


1454 assesssores corresponde a 2908 subsídios.
É obra!

 

terça-feira, novembro 13, 2012

                                        
  Oleandro ou Cevadilha (Nerium oleander)



The Day After

Depois de uma maratona:  Palácio de Belém-Forte de S.Julião (almoço)-Centro Cultural de Belém , quebra de protocolo, impensável no que diz respeito aos alemães, depois disto , como ia dizendo,  a senhora ainda aguentou um daqueles discursos  tipo "conversa de chacha para adormecer perús".

Mesmo assim ela disse, a sorrir, que quando deixasse de ser Chanceler viria cá passar férias.

Direi que é uma senhora muito corajosa.

Mas convém adverti-la ou como dizem os nossos amigos brasileiros: Garota...cai na real!



 
Nessa altura, depois de tantos cortes nisto e naquilo e mais aqueloutro, tanta austeridade, e consequentemente, tanta miséria, não haverá, de certeza aquela frota automóvel, tão confortável e luzidia para se deslocar.  
 
Talvez os transportes sejam mais como os da fotografia.
 


Ou, o mais provável é serem esta espécie de riquexó à portuguesa.

Agora imaginem o nosso primeiro sempre solícito e curvadinho, mais o "ervas-daninhas" de alpergatas com uma palmeira na mão, a servir de ventoinha a conduzirem a senhora por esse País fora e a partilharem uma sardinha.

Boas férias!

sábado, novembro 10, 2012




"Nem só de pão vive o homem".

Não há ninguém, penso eu, que não saiba esta máxima.

Quer dizer que para sermos felizes não nos basta a miserável côdea a que nos querem submeter.
Precisamos de mais, muito mais.
Para começar, precisamos de trabalho remunerado condignamente.
Precisamos de educar os nossos filhos e proporcionar-lhes  ferramentas não só escolares mas culturais.

Precisamos de ser tratados com digniddade.

Compreendo que tenhamos de ter uma certa contenção nas nossa despesas mas o que estão a fazer é bárbaro e mais do que isso é de uma tremenda injustiça porque só alguns estão a ser sacrificados.

É uma  situação que me faz recordar os dias miseráveis de Salazar: A Caridadezinha!
Agora já há pobrezinhos, que bom, vamos lá dar-lhes uma esmolinha.
Qualquer dia uma qualquer D. Maria envergando o seu casaco de vison vai andar por aí de saquinho de plástico na mão, a dar sopinhas aos pobrezinhos.

Não foi para isto que se fez o 25 de Abril.

Qual é o crime de se querer ser Feliz?

   * O doce, delicioso, é do restaurante Sul, na Ericeira.


quarta-feira, novembro 07, 2012


Fotografia do New York Times
 
"The best is yet to come"
 
 
Obama ganha eleições nos USA.
Parabéns América!
Parabéns Mundo!
 
 

terça-feira, novembro 06, 2012


Foz do Arelho




"Sexta feira dia treze"

 


"Quem tem  força abusa"

Monteiro Lobato

sábado, novembro 03, 2012







"Sexta feira dia treze"





Era uma pessoa obstinada
Não tinha curso
Não tinha nada

Disse que tinha
Muita experiência
Assim lhe deram equivalências

Disse também
Que sabia tudo
Assim lhe deram um bom canudo

Boas maneiras nunca lhe vi
Porque esse curso
Não tinha ali

Mas é importante
Com muito esmero
Na Rua dos Tolos, número zero


*Inspirada na canção "Era uma casa muito engraçada"


terça-feira, outubro 30, 2012

 
Ribeira de S.Lourenço - Praia de S.Lourenço - Ericeira




"Sexta feira dia treze"




Os portugueses já não têm  nem paciência, nem tempo para aturar estas "figuras de urso" de quem comanda os nossos destinos.

E ao contrário do que aí se apregoa já não aguentamos , nem vamos aguentar  durante muito mais tempo.

Porquê??

quinta-feira, outubro 25, 2012

 
 
 
Outono
 
 
 
"Sexta feira dia treze"
 

 
 
Voltando às anedotas do século passado, a maneira como o OE está, neste momento, a ser  negociado, fez-me lembrar mais uma.
 
Um funcionário tinha que comunicar uma notícia muito grave a determinada senhora.
Encheu-se de coragem e lá foi ele.
Bate à porta, a senhora atende e ele diz-lhe:
-Minha senhora  houve um acidente muito violento e morreu toda a sua família.
-Ai a minha desgraça, gritou a senhora.
-Deixe lá, fique descansada, afinal foi só o seu marido.
 
Que mais nos irá acontecer.
 
 
 

segunda-feira, outubro 22, 2012

 
 
 
Fausto Bordalo Dias - Coliseu dos Recreios - 20 de Outubro 2012


Apresentação do album "Em Busca das Montanhas Azuis", último de uma trilogia iniciada em 1982 com "Por Este Rio Acima" seguido em 1994 por "Crónicas da Terra Ardente".

Só posso dizer uma coisa: Fausto , Sempre!


 Foto de Platero


Ericeira em Outubro


 
 
 
 

quinta-feira, outubro 18, 2012

 
Praia da Gralha - S. Martinho do Porto
 
É uma linda praia isolada, entre falésias com mar agitado e perigoso.
 
Não tem nada a ver com as "gralhas", como eles dizem, do Orçamento do nosso descontentamento.
Também ficámos a saber que ainda ...parece... se calhar...quem sabe...isto é um "suponhamos"...talvez se façam alguns acertos.
 
Este Governo faz-me lembrar uma anedota que se contava no século passado:
 
Um sargento, na parada vira-se para os soldados  que vêm em corrida e grita:
- Alto! Sentido! Agora levantem o pé direito!
Mas há um que se engana e levanta o pé esquerdo.
Logo o sargento berra:
-Quem é a besta que está aí com os dois pés no ar?
 



 
Monte Facho situado perto de S. Martinho do Porto.
 
A toponímia do nosso País é enorme, variada e em certos casos,  divertida.
 
 
 
 

domingo, outubro 14, 2012



Como se sabe as dietas yo-yo não fazem nada bem à saúde.
Tal como os orçamentos yo-yo.

O que não se compreende é como se anda para trás e para a frente com uma matéria que deveria ser rigorosa, estudada e só depois apresentada na Assembleia.

Não se compreende  como  é que uma matéria da maior importância para os destinos de um  País,  é regateada como se estivéssemos na feira do Relógio.

Somos uma Nação com História e não uma república das bananas em que nos querem transformar.

Como pode esta gente exigir tanta austeridade, tanto rigor, tanto sacrifício, quando, pela sua actuação,
demonstra andar completamente à deriva ou  a servir outros interesses, que não o dos Portugueses.


PS:Hoje o Açor  voou muito alto nas ilhas de bruma.



quinta-feira, outubro 11, 2012



A pé  e alegremente tomo a estrada larga,
São, livre, com o mundo por diante,
O longo caminho diante de mim levando-me aonde quiser.

Não peço boa sorte, eu próprio sou a sorte,
Não há mais lamentos, mais demoras, não preciso de nada,
Basta de queixas entre paredes, bibliotecas, polémicas,
Forte e contente como a estrada larga.
...

Walt Whitman - Canto da Estrada Larga  (excerto)

trad. José Agostinho Baptista



Sexta feira dia treze






Eles estão assim... só que ainda não sabem.

As senhoras  não estão no grupo. Deviam andar nas compras.

terça-feira, outubro 09, 2012

 
S.Martinho do Porto



"Sexta feira dia treze"



É preciso ter lata.
É preciso ter muita lata.

Falar grosso e mal encarado com os portugueses e, lá fora, falar fininho e de "olhos em Álvaro".
É ser forte com os fracos e fraco com os fortes.

Isto está a deixar os portugueses com a síndrome de Espártacos. Talvez seja bom recordar que a abolição da escravatura, em Portugal, foi  em 25 de Fevereiro de 1869.

Já estamos muito fartos de ser governados por capatazes incapazes.
De resto, já percebemos todos, que daquela cabeça só sai caspa.

"É a Hora"  como diria Fernando Pessoa.


sexta-feira, outubro 05, 2012

 


Pela última vez foi, este ano, comemorado o feriado da Instauração da República em 5 de Outubro de 1910.

Mais uma decisão controversa deste governo.

Devia ter sido feito com mais dignidade, mais respeito pelos Portugueses.

Ao menos esta bandeira está correctamente colocada. Os alhos, dizem, é contra o mau-olhado.

quarta-feira, outubro 03, 2012



 
Dedaleira - Digitalis purpurea
 
 
A dedaleira  é uma planta  que se encontra facilmente no campo. Tem uma flor muito bonita e vistosa.
 
Em medicina é usada no tratamento de algumas doenças cardíacas.
Mas um excesso no doseamento  do medicamento pode provocar a morte.
 
Qualquer excesso em vez de curar, pode matar...
 
Acho que estamos a sucumbir a uma overdose de impostos.
 
SOCORRO!
 
 

segunda-feira, outubro 01, 2012




"Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar.
É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário.
E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento que só à humanidade pertence."

Bertolt  Brecht - Privatizado

sexta-feira, setembro 28, 2012


S. Martinho do Porto - Barra

Mar!
E é um aberto poema que ressoa
No búzio do areal...
Ah, quem pudesse ouvi-lo sem mais versos!
Assim puro,
Assim azul,
Assim salgado...
Milagre horizontal
Universal,
Numa palavra só realizado.

Miguel Torga - Mar




"Sexta feira dia treze"




 
 
 
Já agora, também gostaria de citar Camões.
 
 
 
Perdigão perdeu a pena
Não há mal que lhe não venha
 
Perdigão que o pensamento
subiu a um alto lugar,
Perde a pena do voar,
ganha a pena do tormento.
Não tem no ar nem no vento
Asas com que se sustenha:
Não há mal que lhe não venha.
 
Quis voar a uma alta torre,
Mas achou-se desasado;
E, vendo-se depenado,
De puro penado morre.
Se a queixumes se socorre,
Lança no fogo mais lenha:
Não há mal que lhe não venha!
 
 
Luis de Camões
 

terça-feira, setembro 25, 2012




 
Forte de Peniche
 
 
 
Neste mesmo local foi iniciada a construção do Castelo da Vila, em 1557. Em 1570, no reinado de D.Sebastião, ficou concluída a obra.
 
O motivo para a sua construção foi assegurar a defesa da costa, dos ataques de corsários ingleses e franceses e Piratas da Barbária.
 
Com o decorrer dos séculos passou a ser utilizado como prisão.
 
Durante o Estado Novo português (1930-1974) serviu como prisão política de segurança máxima.
Mesmo assim, ficaram célebres as fugas de António Lourenço e Álvaro Cunhal, prisioneiros políticos pertencentes ao Partido Comunista.
 
Com o 25 de Abril de 1974 todos os presos políticos foram libertados.
 
Vale a pena visitar este Forte, para que nunca se apague da memória colectiva o verdadeiro sentido da palavra: Liberdade.
 
 
 
 
"Sexta feira dia treze"
 
 


 
Stencil nas Caldas da Raínha