segunda-feira, abril 25, 2011




 Moçambique


O meu 25 de Abril só chegou na madrugada do dia 26.

Essa madrugada libertadora, foi festejada ainda um pouco a medo. Não se tinha a certeza de nada. Mas o coração transbordava de alegria. Ficámos dependentes  das notícias que iam chegando e confirmavam que sim, era verdade, fascismo nunca mais.  Nunca esquecerei o primeiro 1º de Maio.  Tão longe  mas tão presente. Guardo como um tesouro essa emoção tão profunda que  transformava  a felicidade em lágrimas.

Gostaria de preservar a pureza desse dia.

25 de Abril Sempre.



4 comentários:

Carminda Pinho disse...

25 de Abril, para festejar para sempre!
:)

Beijinho, Isabel.

Vieira Calado disse...

Eu estava a viver em Paris.

E só vim a saber alguma coisa de jeito...
no outro dia!

Saudações poéticas

alfacinha disse...

a partir daquele momento o meu interesse e admiração para Portugal cresceram de dia a dia.
cumprimentos

Ana Tapadas disse...

Eu vivia a adolescência. Aos quinze anos a vida abriu-se plena de sonhos de um mundo melhor!
Que o sonho, esmorecido, não morra!
Beijo