sexta-feira, novembro 18, 2011



Pouco é um homem e, no entanto, nele
cabe tudo o que existe e fica ainda
espaço bastante para poder negá-lo.


Armindo Rodrigues - Beleza Prometida  XC

in  Poemas Portugueses Antologia da Poesia Portuguesa do Séc.XIII ao Séc. XXI

*

3 comentários:

Vieira Calado disse...

Escreveu muito, este homem.
Em tempos até tive um livro dele.

Saudações poéticas

Ana Tapadas disse...

Querida Isabel,
A lareira já crepita e o lar está doce, mas...o descanso partiu definitivamente.
Poeta tão excelente o quanto afastado das cartilhas/manuais...é o cinzento dos dias,


Beijinho

alfacinha disse...

Poema curto e forte, e o contraste com a luz e sombra perfeita
Cumprimentos de Antuérpia