quarta-feira, março 20, 2013


Vivemos tempos conturbados, perigosos.

 Nunca, nestes quase 40 anos de democracia, me lembro de assistir a tanta incompetência, desonestidade e mentira.

Sairam-nos estes "vende-pátrias" ao caminho que curvam a espinha e assinam um acordo miserável numa reunião do Euro Grupo e, depois, se apresentam de olhos baixos e voz mansa, aos portugueses a dizerem que não, em Portugal, não será como no Chipre.

Depois de tantas e tantas mentiras quem é que acredita?

Às vezes surge a velha polémica sobre o Hino Nacional. Que se devia retirar a frase "contra os canhões, marchar, marchar" por ser de índole bélica, não fazendo sentido num País de brandos costumes e em paz.

E fico a pensar. Talvez, actualmente, fizesse mais sentido dizer:"Contra os mentirosos, vigaristas,ladrões...etc. etc. marchar, marchar!

3 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei o seu blog, estive a ler algumas coisas e posso dizer que é um blog fantástico,
com um bom conteúdo, dou-lhe os meus parabéns.
Se desejar faça uma vista ao Peregrino e sevo e deixe o seu comentário.
Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.

alfacinha disse...

A sua irritação é com toda a razão. Durante o meu estado em Tavira vi o resultado desumano deste governo.
Cumprimentos de Antuérpia

Ana Tapadas disse...

Querida Isabel,
quanta razão tens!
Eu começo a duvidar dos 'brandos costumes»...até quando?
Desta forma começa a tornar-se insuportável.

(Ainda se este frio se fosse embora!)

Beijinho grande