quarta-feira, novembro 28, 2007




Sintra - Novembro/2007
Lord Byron chamou a Sintra "glorioso paraíso".
Foi ocupada por romanos, gregos, muçulmanos (a Xintara árabe).
Em 1147 D.Afonso Henriques concede Carta Foral à Vila de Sintra.
Vários acontecimentos notáveis tiveram lugar nesta vila. Destaco aquele em que Camões leu "Os Lusíadas" ao rei D. Sebastião.
...
A estas nobres vilas sometidas
Ajunta também Mafra em pouco espaço,
E, nas Serras da Lua conhecidas,
Sojuga a fria Sintra o duro braço;
Sintra, onde as Naiades, escondidas
Nas fontes, vão fugindo ao doce laço
Onde Amor as enreda brandamente,
Nas águas acendendo fogo ardente.
...
Luis de Camões - Os Lusíadas - Canto III

11 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Fotos lindas, música divina...Lusíadas... Obra de arte total...
Kiss

Bipede Implume disse...

Olá Ludo
Temos o nosso guerreiro de volta?
Bem-vindo amigo.
Beijinhos.

Carminda Pinho disse...

Sintra! vila lindíssima com tanto ainda por descobrir, da minha parte.
Camões e a sua poesia, dizer mais o quê? Lindo!

As fotografias lindas, como sempre.

Beijinhos amiga e muito obrigada pela tua citação, lá. :)

cristina disse...

Adoro, fotos, poèma,musica...!
Pensamentos e grande abraço.

Té la mà Maria - Reus disse...

Solo estuve de pasada por Sintra pero viendo las fotos me duele haberme quedado, tienes un muy bonito pais

saludos

Maria Faia disse...

Olá Amiga,

Sintra é uma das jóias deste pequeno Portugal que a todos é querido.
E, com este post, conseguiste juntar duas jóias preciosas: um belo e lindo cantinho de Portugal e um dos seus maiores expoentes poéticos. Parabéns amiga.

Beijo Amigo,
Maria Faia

Teresa Cruz disse...

O mesmo escritor disse também ser Sintra a oitava maravilha do mundo. E eu subscrevo. Quanto ao Poeta... sou suspeita para falar; tal como disse alguém que ambas conhecemos da blogosfera... sou uma camoniana militante!
Parabéns pelo post.
Abraço.
Teresa

Tietie007 disse...

Belles photos !

vitormanuel disse...

...
Vou passar a noita a Sintra por não poder passá-la em Lisboa,
Mas, quando chegar a Sintra, terei pena de não ter ficado em Lisboa.
Sempre esta inquitação sem propósito, sem nexo, sem consequência,
Sempre, sempre, sempre
Esta angústia excessiva de espírito por coisa nenhuma,
Na Estrada de Sintra, ou na estrada do sonho,
ou na estrada da vida...

Álvaro de Campos
Que o fim de semana dê para sonhar e ser feliz. laura

Bipede Implume disse...

Carminda, minha amiga
Sintra aqui tão perto,e,contudo, parece que nos esquecemos.
Vale a pena lá ir. Estão a recuperar alguns belos edifícios. Vai ainda ficar mais bonita.
Beijinhos.

Cristina, ma chérie
Obrigada, és muito querida.
Beijinhos

te la mà maria
Quando voltares a Potugal deves ir a Sintra, com mais calma. Pensa nisso, para o próximo Verão.Depois tens de saborear as "Queijadas de Sintra" que são uns bolinhos muito bons.
Saludos, amigo.

Maria Faia
Ainda estive tentada a pôr Lord Byron, mas achei que o nosso Camões ficaria melhor.
Sintra é, de facto, uma pequena jóia e com os trabalhos de recuperação que estão a acontecer, ficará ainda mais bonita, espero.
Beijinhos, amiga.

Olá Teresa
Confesso que aprendi a gostar de Camões, já um pouco tarde na vida.
A divisão de orações, nas aulas de português...traumatizaram-me.
Estou a brincar. Mas, a verdade, naquela altura não nos ensinavam a amar Camões. Obrigavam-nos a estudá-lo. Mas aprendi a gostar muito de Camões,é o que interessa.
Beijinho de amizade.

tietieoo7
Merci bien pour ta visite et commentaire.
A bientôt.

Laura, minha amiga
Olá!
Que lindo poema do Álvaro de Campos e a sua sempre presente inquietação.
Amo Fernando Pessoa e todos os seus heterónimos, com especial dedicação a Alberto Caeiro.
Um bom fim de semana para ti,também amiga.

Moinante disse...

Sintra é uma paixão... e eu sou terrivelmente apaixonado por Sintra...

passa pelo meu blog http://moinantes.blogspot.com tenho lá umas fotos bem fixes...

Gostei do teu blog, continua...

Moinantes