terça-feira, setembro 03, 2013



Canta, poeta, canta!
Violenta o silêncio conformado.
Cega com outra luz a luz do dia.
Desassossega o mundo sossegado.
Ensina a cada alma a sua rebeldia.

Miguel Torga - Voz Activa

4 comentários:

Caio Bov disse...


A gente fala para quem ouve, e não para quem quer ouvir.
Canta, poeta, canta!
Violenta o bispo empregado.
Cega com outra luz a luz do dia.
Se o passado é fantasma e o futuro é inseto,
Desassossega o mundo sossegado.
Ensina a cada alma que ninguém sabe da bosta de Biobosta D'Bosta Alguma.
Dessassocia o futuro associado.

Miguel Torga de Palhoça- Voz Cativa

alfacinha disse...

Olá Isabel
Estou contente por ver que voltou sã e descansada de férias
Abraços

vih disse...

vejo que voltou das férias, e com uma poesia, mas que surpresa boa ler poesias pela blogosfera! (:
Beijos rimados pra você

Ana Tapadas disse...

Querida Isabel,
que saudades tuas!

Espero que estejas bem repousada e pronta para enfrentar estes dias.

Belíssima escolha de poema, para recomeço!

Belíssima foto.

Beijinho