quarta-feira, junho 27, 2007

...
Não posso
ficar sentado.
Até logo.
Amanhã
ver-nos-emos.
Hoje tenho muitas
batalhas a vencer.
Muitas sombras
para destruir e dissipar.
Hoje não posso
estar contigo, tenho
de cumprir a minha obrigação
de luz:
calcorrear as ruas,
visitar as casas e os homens,
destruir
a escuridão. Tenho
que me repartir
até que tudo seja dia,
até que tudo seja claridade
e alegria na terra.

Pablo Neruda - excertos de Ode à Claridade.

Fotografia de um miradouro em Elvas.

3 comentários:

Carminda Pinho disse...

Esta fotografia...deixa cá ver...é no Algarve. Acertei?
Amiga, o poema... bem... o poema é lindo, como todos aqueles que publicas aqui.
Obrigada.
Bjs

Carminda Pinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bipede Implume disse...

Pois ...minha Amiga
A fotografia é no Alentejo, em Elvas. Eu escrevi isso mas em letras muito pequeninas. Vou modificar o tipo de letra.
Beijinho e bom fim de semana.