terça-feira, outubro 30, 2007


Com fragante delicadeza
De um mistério surges, ó rosa,
Para seres o prazo da beleza
Eternamente transitória.
.
E teu universo conciso
Só dura o tempo de, amistosa,
Dizeres num recado exíguo
Que o universo é uma rosa.
.
Nacarado prenúncio ou vestígio
De uma incompreensível ordem,
É para nomear o prodígio
que te damos um nome: rosa.
.
Natália Correia - As flores/VII

5 comentários:

Té la mà Maria - Reus disse...

el escudo de nuestra ciudad Reus es una rosa, por tanto esta bella flor la llevamos en el alma

saludos y como siempre muy buenas fotos

cristina disse...

Que maravilhosa!
"Vivez,si vous m'en croyez,n'attendez à demain,
Cueillez dès aujourd'hui les roses de la vie."
Pierre De Ronsard.
Grande abraço, querida amiga.

Ludovicus Rex disse...

Belo post...Hummmm...
Kiss

Carminda Pinho disse...

Isabel, que flores lindas as rosas.
O poema da Natália, é um poema da Natália e está tudo dito.
Beijinhos

Bipede Implume disse...

té la mà maria-reus
Que lindo deve ser o escudo da tua cidade.
Saludos amigos.

Cristina, ma chérie
Podiamos escolher como lema de vida este pensamento de Ronsard.
Beijinhos.

Ludovicus Rex
Olá amigo.
Fico feliz por gostares das minhas flores. São mesmo do meu jardim.
Beijinhos.

Carminda, minha amiga
Como disse ao Ludo estas são rosas do meu jardim, que ofereço aos meus amigos com muito carinho.
Quanto à Natália está já tudo dito.
Só nos resta perpetua-la recordando-a.
Beijinhos.