terça-feira, outubro 16, 2007

A pé e alegre dirijo-me para a estrada larga,
Saudável, livre,o mundo à minha frente,
Diante de mim o longo e castanho caminho leva-me para onde eu
.............quiser.
.............
Daqui em diante nada peço à sorte, eu próprio sou a sorte,
Daqui em diante não mais me lamentarei, nada mais adiarei, de
.............nada precisarei,
..
Deixo as queixas dentro de casa, as bibliotecas, as criticas
..............impertinentes,
Forte e satisfeito viajo pela estrada larga.
.
A terra, e nada mais,
Não quero as constelações mais perto,
Sei que estão muito bem onde estão,
Sei que são suficientes àqueles que lhes pertencem.
.
(Mesmo aqui carrego os meus velhos e deliciosos fardos,
Carrego-os, homens e mulheres, carrego-os comigo para onde
............quer que vá,
Juro que é impossível livrar-me deles,
Deles estou cheio e hei-de enchê-los por minha vez.)
.
Walt Whitman - Canção da estrada larga- I

7 comentários:

Carminda Pinho disse...

Então caminhemos...pela estrada larga a pé e, alegres!
Beijinhos amiga.

Bipede Implume disse...

Vamos alegres, mas não "cantando e rindo"...ufa!
Beijinhos, amiga.

cristina disse...

Bonito poèma.Bom semana e grande abraço, querida amiga.

Teresa Cruz disse...

Obrigada pela visita aos "Meus Postais" e pelo comentário simpático.Não conheço a cidade da Guarda tão bem quanto gostaria, mas o pouco que conheço basta para saber que é uma digna representante da Beira Alta.Quanto a Paris... cidade de sonho, não é?
Abraço.

Carminda Pinho disse...

Ah amiga! nunca "cantando e rindo"
mas, a cantar e a sorrir podemos ir por essa estrada larga, não? :)))
Beijos

Bipede Implume disse...

Olá Cristina
Mando-te saudades de Lisboa, minha amiga.
Beijinhos.

Teresa Cruz
Guarda, cidade dos cinco Efes, mas só me lembro de três:Fria, Farta e Formosa.
Quanto a Paris, e eterna sedutora, era capaz de lá viver...junto ao Sena... Sonhos.
Grande abraço.

Minha amiga
nunca, jamais, em tempo algum. Naquela altura "eramos levados levados,sim", mas agora já é um pouco mais difícil, digo eu...
Mas podemos ir por esta estrada larga fraternalmente a cantar e a sorrir, que é o que mais gosto de fazer e então se tiver boa companhia, melhor ainda.
Beijinhos.

Carminda Pinho disse...

Concordo contigo. Quem sabe um dia destes?!
Beijos