terça-feira, fevereiro 19, 2008


No bosque. Ninguém a viu.
Flor aberta, flor fechada.
Por que vibraram os deuses
Sua beleza ignorada?

Por que passou pelo bosque
tão amável perfeição,
se pelo bosque passava
apenas a solidão?

Alberto Lacerda - Ninfa

3 comentários:

Meg disse...

Fantástica esta imagem! Como é que de uma árvore, de um tronco aparentemente seco como uma rocha, desponta um aloé?
Aumentei a imagem e pasmei...
Faltam-me palavras para o poema.
Belo, só!

Um abraço

Anónimo disse...

Um abraço de bom noite, amiga.
Penso muito à tua e Fransisco.
bisssssssssssssssssous
Cristina

Bipede Implume disse...

Meg
Tirei esta fotografia Na R. Bartolomeu Dias, rua que vai dar ao CCB, num pátio do Convento da N.Senhora do Bom Sucesso.
A Natureza não cessa de nos surpreender.
Abraço de amizade.

Querida Cristina
Então está para breve o teu regresso ao nosso Sol que, por acaso, tem andado muito escondido.
Que boa notícia.
Beijinhos.