sexta-feira, maio 29, 2009




Como casa limpa
Como chão varrido
Como porta aberta

Como puro início
Como tempo novo
Sem mancha nem vício

Como a voz do mar
Interior de um povo

Como página em branco
Onde o poema emerge

Como arquitectura
Do homem que ergue
Sua habitação

Sophia de Mello Breyner Andresen - Revolução

Posted by Picasa

11 comentários:

Ana Tapadas disse...

Belíssimas fotos!
Amiga e que bela associação ao poema!
Bom sábado e um beijinho

Carminda Pinho disse...

Excelente!!!
Nem tenho palavras...:)
Bom fim de semana, Isabel.
Beijinhos

Maria Faia disse...

Querida Amiga,
Mais uma vez nos trazes a beleza da palavra e do sentir de Sophia.
Gosto sempre de ler e reflectir.
Desejo-te um excelente dim de semana.

Beijo amigo,
Maria Faia

Vieira Calado disse...

Lindos, ambos!


Cumprimentos meus.

Janaina Amado disse...

LIN-DIS-SI-MAS foos! São suas? Belzea reler Sophia.
Muito obrigada pelo envio das fotos - nos apaixonamos pela Ericeira!

EternaApaixonada disse...

Vim deixar um abraço e dizer que seu blog continua lindíssimo!
Amo as fotos e as poesias!
Obrigada pela linda partilha!
Um ótimo domingo!
Helô

Flor ♥ disse...

Isabel,

passear pelo teu blog alegra meu coração... essas fotos lindas juntamente com Sophia são uma inspiração!

Beijinho e boa semana!

Meg disse...

Lisa,

Estas fotos são um achado, um encanto, e ilustram com todo o rigor este belíssimo poema da Sophia.

Uma boa semana para ti, Isabel

Um beijo

Bipede Implume disse...

Queridos amigos

Ana
Carminda
Maria Faia
Vieira Calado
Janaína
Helô
Flor
Meg

Esqueci-me de mencionar que as fotografias foram tiradas na Ericeira perto da capelinha de S. Sebastião.
Fico muito feliz por terem gostado.
Muito obrigada e beijinhos para vós.

Flor ♥ disse...

Que lindo... e parabéns mais uma vez por tão bela arte fotográfica!

=)

Cristina disse...

Magnifico.Ericeira, cidade de sonhos...!
Grande abraço!