quinta-feira, outubro 01, 2009


Cesário, que conseguiu
Ver claro, ver simples, ver puro,
Ver o mundo nas suas coisas,
Ser um olhar com uma alma por trás, e que vida tão breve!
Criança alfacinha do Universo,
Bendita sejas com tudo quanto está à vista!
Enfeito no meu coração, a Praça da Figueira para ti
E não há recanto que não veja por ti, nos recantos de seus recantos.

Álvaro de Campos/Fernando Pessoa (1888-1935
Poesia


(edição de Teresa Rita Lopes)
in Poemário Assírio & Alvim -2007

Posted by Picasa

8 comentários:

Flor ♥ disse...

Querida Isabel,

Como é bom receber tua visita no Interlúdio! Nestes dias de intenso trabalho, é bom compartilhar momentos de interatividade. Obrigada por nos presentear com F. Pessoa!

Beijinhos.

Janaina Amado disse...

Cesário é mesmo especial, não é? Ainda mais cantado por Álvaro de Campos! E as fotos, de quem são?
Mas vim aqui para lhe dizer que, ao ler aqui o lindo poema de Sophia de Mello Breyner que não conhecia, fiquei com a poesia de Sophia em mim, lembrando-se de vários de seus poemas, de como gosto dela... e escrevi um post sobre essa autora, do qual o poema que publicaste aqui foi o inspirador. Obrigada!

Carminda Pinho disse...

Há quanto tempo não vou à Praça da Figueira. Entrar na Nacional, comer um croissant, percorrer a Rua Augusta, a da Prata e a do Ouro. Subir Rua do Carmo e "saborear" o Chiado...
Saudades!
Beijos, Isabel.

Je Vois la Vie en Vert disse...

bem me pareceia que eu conhecia esta preça mas nunca a tinha vista neste ângulo e nestas lindas palavras !

Beijinhos da

Verdinha

Ana Tapadas disse...

Amiga:
A luz de Lisboa captada desse ângulo maravilhoso ilustra bem os versos de Pessoa com o olhar deambulante de Cesário.
Que união maravilhosa conseguiste!
Obrigada pelas tuas palavras, sempre tão gentis. Eu só junto palavras, no fim de dias bem cansativos deste início instável do ano escolar: gripe, obras na escola, e...um futuro incerto.
Beijinho e bom fim-de-semana

Meg disse...

Isabel,

Há quanto tempo!
Depois de um Verão de trabalho intensíssimo, seguido de uma gripe a condizer,finalmente estou de férias e com todo o tempo para os amigos.
Antes de continuar, quero dizer-te que as minhas férias são uma espécie de retiro, em casa, com silêncio só cortado por música,os meus livros, os meus amigos - vocês - sem telefones... enfim, são férias COMIGO!
Por isso aqui estou a visitar cada um de vós, e a dar-me o prazer de vos ler e tentar recuperar o que ficou para trás...

Este é um recanto onde sempre me sinto bem, aqui respira-se paz e beleza... e as tuas fotos são sempre mais uma descoberta para mim, cá "desterrada" pela moirama.
É verdade, Isabel... ainda há muito Portugal que desconheço, mas estou numa fase em que só me apetece, depois da loucura do Verão por aqui, ficar sossegada e descansar.

Que dizer de Álvaro de Campos?
Foi com ele que me iniciei nesta aventura do Recalcitrante, lembras-te?
Um bom fim de semana prolongado!

Um beijinho para ti

Cristina disse...

Paisagem muito agradavel e que gosto muito!!!
Beijinhos, amiga.

Bipede Implume disse...

Queridas amigas

Flor
Janaína
Carminda
Verdinha
Ana
Meg
Cristina

Parece que Lisboa deixou a sua marca em todas nós. Sendo eu lisboeta fico encantada e grata.
Beijinhos para todas.