quinta-feira, novembro 13, 2008



Azáleas


Há quantos anos convosco vivo
poetas deste mundo e todos os feitios,
como com tudo quanto seja criação humana,
desde as fantasias da carne à contemplação do espaço!
Se vos traduzo para vós em mim,
não é porque vos use para dizer o que não disse,
ou para que digais o que não haveis dito -
- mas para que sejais da minha língua,
aquela a que pertenço e me pertence,
e assim nela eu me sinta em todo o mundo e sempre,
por vossa companhia.
Pois para quem haveis escrito
senão para quem vos ame e queira.

Jorge de Sena - Envoi (Jan.1970?)

Posted by Picasa

5 comentários:

Carminda Pinho disse...

Um bonito poema de Jorge de Sena, Isabel.
As Azáleas, ficam aqui tão bem...

Beijinhos

PS: - Com que estão, morangoskas, hein?! :)))

Cristina disse...

Muito lindo!
Bom fim de semana,amigos e grande abraço.

Verdinha disse...

Belas flores e palavras certas !

Bom fim de semana !

Beijinhos verdinhos

Ana Tapadas disse...

Jorge de Sena é um dos meus três poetas favoritos...muito bom vê-lo aqui!
Sabes, as minhas azáleas vermelhas continuam em flor, qual sinal de esperança em dias mais suaves.
Beijinho e muito obrigada pelas tuas palavras.
Bom fim-de-semana.

Bipede Implume disse...

Olá amigas

Carminda
Cristina
Verdinha
Ana

Beijinhos para todas e um bom fim de semana.