terça-feira, junho 03, 2008






Flores de romãzeira (Punica granatum)
Toda a doçura da natureza inteira
Na tumba do Inverno foi sepultada.
O vento solta um triste lamento
E longos uivos frios sinistros.
Mas o Verão fecundo há-de chegar
E nos seus braços trazer a vida.
Na encosta e no vale, nos altos montes
Flores radiosas vão renascer.

Já vestiu o bosque o seu manto verde,
Já magestoso se anuncia o Verão.
Serena harmonia paira no ar
E a brisa canta doce melodia.
No salgueiro do rio pende uma harpa
De cordas secas no Inverno frio
Tangendo agora suave harpejo.
Escutai! Escutai! Revive o mundo!

Thomas Telynog (1840-1865) - O Inverno e o Verão
Cultura celta (galês)
in Rosa do Mundo
Posted by Picasa

5 comentários:

koborron disse...

Si, si, revive el mundo, con esta primavera tan aguada que estamos teniendo (por esta parte de Iberia)
Un abrazo.

Cristina disse...

Fabuloso!
Lindo poèma.
Beijinhos.

meg disse...

Isabel,
Sabes que não conhecia a flor da romãzeira? É lindíssima e da minha cor preferida.
Não te vais zangar mas esta vou levá-la para o meu jardim virtual.

E o poema, também fala de uma das minhas ásvores preferidas... o salgueiro, o salgueiro chorão.

Planteu um há mais de 20 anos, numa casa onde vivi, e ainda hoje passo por lá para ver o salgueiro, a araucária, as palmeiras os pinheiros, tudo plantado por mim.
E fico a olhar e a pensar que deixei ali a minha marca.

Um abraço

anna disse...

Belíssimas fotografias...como sempre! Bela música ( e costumam irritar-me blogs com música!). Lindo poema...
Passar por aqui ao fim de nove horas de trabalho foi bom!
Obrigada.

Bipede Implume disse...

Caro Koborron
Esta escolha foi também um desabafo. A nossa Primavera tem sido também muito chuvosa, muito cinzenta.
Mas, parece, que os dias mais quentes estão aí para ficar. E até a nossa disposição fica mais leve.
Grande abraço.

Querida Cristina
Posso, finalmente, dizer-te, prepara os teus fatos de Verão, porque, finalmente, ele está a chegar para te receber condignamente. Uma belga que tanto ama este país assim o merece.
Beijinhos e saudades.

Querida Meg
Fico muito feliz por teres levado a flor da romãzeira.
Também deixei em Vila Pery, actualmente Chimoio, algumas árvores plantadas, entre elas um carvalho de folha prateada, que tem a idade da minha filha mais velha. Gostaria de saber se sobreviveu e como estará ele agora.
Já plantaste árvores, já tiveste filhos...só te falta escrever um livro, certo?
Aceita o meu abraço com muito carinho.

Querida Anna
Agradeço muito as tuas palavras.
Porque é um bocadinho a essência deste blog. É mesmo para descansar a alma, os olhos. Gostaria de ser mais talentosa, mas no que faço ponho o meu coração.
Grande abraço.