segunda-feira, junho 16, 2008



Venho simplesmente dizer
que uma laranja é uma laranja
e comove saber que não é ave

se o fosse não seriam ambas
uma só coisa volátil e doce
de que a ave é o impulso de partir
e a laranja o instinto de ficar.

Não sei de nada mais eterno
do que haver sempre uma só coisa
e ela ser muitas e diferentes
e cada coisa ternamente ocupar
só o espaço que pode rodeada
pelo espaço que a pode rodear.

Sei que depois de laranja
a laranja poderá ser até
mesmo laranja se necessária
mas cada vez que o for
sê-lo-á rigorosamente
como se de laranja fosse
a exacta fome inadiável.

De ser laranja gomo a gomo
o íntimo pomo se enternece
e não cabe em si de amor
embriagada de saber
que a sua morte nos será doce.

Natália Correia - Uma laranja para Alberto Caeiro

9 comentários:

lotto tickets disse...

Thanks to the blog owner. What a blog! nice idea.

fake lottery tickets disse...

Yugs, daw nabasahan ko naman ni sa iban nga blog?

Carminda disse...

Isabel
Diria que ou a laranjeira deu apenas uma laranja, ou a laranja apareceu ali por magia.:)

O poema da Natália é....doce.

Beijos

Cristina disse...

Bomm dia, amiga, com muito sabor de laranja...
Até muito brève!!
Grande abraço.

anna disse...

Maravilha a Natália.
Obrigada.
Aqui em plena época de exames, mas como finalmente o Alentejo aquece...já cheira a verão e a estevas.
Beijinho

Té la mà Maria - Reus disse...

bonita poesia asi como la música que suena, que armonia tiene siempre tu blog, muchos beijos y obrigado

Lídia disse...

Olá amiga Isabel. Obrigado pela tua visita. Gosto deste poema, e penso que se adequa á personagem a quem a autora o dedicou. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Mas somos sempre várias coisas, assim como a laranja é composta de gomos.
Abraço. Lidia.

meg disse...

Isabel, com muita pena pela falta de tempo e depois de ler o poema da Natália que pensei ser do Alberto Caeiro... não conhecia.
deixo-te um abraço.

Bipede Implume disse...

Querida Carminda
Quando vi esta laranjeira lembrei-me daquela história sobre uma redacção cujo tema era: "Mãe, há só uma."
Mas o poema da Natália era mais bonito.
Beijinhos, amiga.

Querida Cristina
Esta laranjeira é algarvia. De Faro.
Os dias estão a passar mais depressa, não estão?
Até breve amiga, beijinhos.

Querida Anna
Calculo que estejas com muito trabalho sendo época de exames. O Alentejo tem uma grande riqueza em aromas.
Eu tenho na memória o cheiro dos morangos, algures perto de Ponte de Sôr.
Beijinhos, amiga.

Té la mà maria-reus
Querido amigo
Sabes, é mesmo essa a minha intenção. E encontrar alguém, como tu, que entenda deixa-me muito feliz.
Beijos e saludos.

Querida Lídia
E, profissionalmente, tu sabes bem distrinçar os vários gomos de que somos feitos.
Beijinhos.

Querida Meg
Eu sei que agora tens menos tempo.
Vem quando puderes, quando quiseres. És sempre bem-vinda.
Grande abraço. Mais logo vou fazer-te uma visita.