sexta-feira, julho 18, 2008


(Platycodon grandiflorus)

...
Por isso
procuro
nomes
entre as ervas,
como te chamas?
pergunto eu
a uma corola
que subitamente
colada ao solo entre as humildes pedras
ardeu como um relâmpago.

E assim, simplicidade, vamos
conhecendo
os escondidos seres, o secreto
valor de outros metais,
olhando a formosura das folhas,
conversando com homens e mulheres
que só por isso serem
os torna insignes,
e onde quer que estejas, simplicidade,
o teu encanto me arrebata,
...
Pablo Neruda - Ode à Simplicidade (excertos)

Agora sim, um Verão a sério.

Para todos, em férias ou não, tenham um excelente fim de semana.Fiquem bem.

Posted by Picasa

6 comentários:

Cristina disse...

Bom fim de semana, grande abraço.

Anna disse...

Pablo Neruda é um poeta maravilhoso e este poema é lindo!
Obrigada!
Agora, sim, de férias...até Setembro sob o sol alentejano.
Bom fim-de-semana.

Carminda Pinho disse...

À simplicidade do poema de Neruda, à beleza das Platycodon grandiflorus, e aos teus sempre doces comentários neste espaço... Obrigada!
Beijos, e bom fim de semana, menina da franja.:)

meg disse...

Isabel,
Daremos nós hoje o devido valor à simplicidade?
Não o creio mas também é o apelo que faço. Simplicidade precisa-se, pois estamos a pagar a factura. As tuas flores, Isabel.
Um bom dim de semana e um abraço

Lídia disse...

É na simplicidade que reside a verdadeira beleza das coisas. Tão esquecida e ignorada pela ansia crescente de um preenchimento narcisico, que só se satisfaz com a opulencia.
Beijo e boa semana
Lidia

Bipede Implume disse...

Allô Cristina
Grande abraço e boa semana.

Querida Anna
Finalmente férias.
Bem merecidas, de certeza. Então o melhor é aproveitar bem, esse abençoado sol alentejano.
Beijinhos e boas férias.

Querida Carminda
Pedi ajuda ao Platero que me disse o nome comum das Platycodon grandiflorus: Sinos do Campo.
Menina da franja...eh..eh..eh.
Beijinhos e boa semana.

Querida Meg
Também não acredito muito nisso.
Mas não custa nada nós sonharmos um pouco, com a ajuda meritória do Pablo Neruda.
É uma luta desigual quando todos os meios incitam as pessoas a gastar o que têm e o que não têm.
Grande abraço e boa semana.

Querida Lídia
É verdade. É uma outra religião.
Valorizamos os bens terrenos e esquecemos os outros.
Beijinhos e boa semana.