terça-feira, dezembro 30, 2008


Dai-me um dia branco, um mar de beladona
Um movimento
Inteiro, unido, adormecido
Como um só momento.

Eu quero caminhar como quem dorme
Entre países sem nome que flutuam.

Imagens tão mudas
Que ao olhá-las me pareça
Que fechei os olhos.

Um dia em que possa não saber.

Sophia de Mello Breyner Andresen - Intervalo II

Posted by Picasa

4 comentários:

ADRIANO NUNES disse...

Isabel,

Belíssimo poema! Obrigado pela visita! Paz e luz! Felicidades eternas em 2009!


Adriano Nunes.

Carminda Pinho disse...

Isabel,
um dia branco, como este de Sophia, era o que eu precisava, às vezes...

Aproveito para te desejar um Ano Bom, com muita saúde e Paz.

Beijos

romério rômulo disse...

isabel:
um mar de beladona é coisa forte.
um abraço.
romério

Cristina disse...

Une photo qui me réchauffe le coeur.
Cela m'a fait tant plaisir de vous entendre en direct!!!
Boas Festas,feliz Ano Novo, com muito saude, amor,e amizade.
grande abraço pour vous deux.